Tucanos buscam nome para o governo de MG



A aliança formada em torno de Aécio Neves (PSDB) em Minas Gerais não quer mais depender do aval do senador, afastado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quinta-feira (18), para tomar decisões políticas no Estado.
O grupo comandou Minas entre 2003 e 2014, sendo que quase oito anos governados por Aécio, que deixou o governo em 2010 antes do fim do mandato para se candidatar ao senado. O grupo permaneceu no poder até perder a eleição para o petista Fernando Pimentel.
Ainda assim, continuou sob a tutela de Aécio, que presidia o PSDB nacionalmente e planejava uma segunda candidatura ao Planalto. Agora, as legendas tentam emplacar no governo alguém que seja visto como "o novo" e esteja descolado do rótulo de afilhado do ex-governador. A preferência, no entanto, é que seja um nome que já tenha base política.
No plano nacional, tendem a apoiar o candidato tucano, seja o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ou o prefeito da capital, João Doria.
Mesmo antes da divulgação de delações da JBS, havia um entendimento de que o nome de Aécio tinha perdido capital político e que, ao senador, cabia se defender dos inquéritos que responde na Lava Jato.
Governo

Senador pede explicações ao PSB sobre operações “Fair Play”, “Turbulência” e “Politeia”



Pré-candidato ao Governo de Pernambuco em 2018, o senador Armando Monteiro (PTB) cobrou do PSB, nesta segunda-feira (22), explicações sobre o envolvimento do partido em três operações feitas pela Polícia Federal: “Fair Play”, “Turbulência” e “Politeia”.
Foi a primeira vez que o senador petebista veio a público para questionar diretamente o governador Paulo Câmara, que o derrotou nas eleições de 2014.
Veja a íntegra do seu comunicado:

Presidente do PSB de Pernambuco responde ao senador Armando Monteiro

Por meio de nota divulgada nesta segunda-feira (22), o presidente regional do PSB, Sileno Guedes, respondeu ao senador Armando Monteiro (PTB), que também por meio de nota cobrou explicações do partido sobre as operações da Polícia Federal em que está envolvido.
Veja a íntegra da nota do dirigente do PSB:
O senador Armando Monteiro, conhecido em Pernambuco como o “ministro do desemprego”, mente reiteradamente quando fala do PSB. Foi esse mesmo partido e o ex-governador Eduardo Campos que possibilitaram que ele se elegesse, apesar de ser um candidato “pesado”, como se diz. Era até então um inexpressivo deputado que, depois de circular por todos os campos políticos de Pernambuco, só venceu uma eleição majoritária tirando proveito da popularidade de Eduardo.
Armando, mais uma vez, tenta surfar no noticiário. Tenta surfar na honra de homens públicos sérios, como o ex-governador Eduardo Campos – que nem está mais entre nós para se defender -, o governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Júlio.
O PSB, desde o primeiro momento, defendeu e defende as investigações de todas as operações de combate à corrupção. Em todos os episódios citados pelo “senador do desemprego”, o PSB jamais se esquivou de prestar os esclarecimentos necessários. É mentira que o governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Júlio sejam objeto de alguma ação judicial.

Em “Carta aos brasileiros”, neto de Arraes defende o “fora Temer” e eleições diretas já



O advogado e neto de Miguel Arraes, Antonio Campos, divulgou nesta segunda-feira uma “Carta aos brasileiros” na qual defende o afastamento de Michel Temer da presidência da República e a realização de eleições diretas para a escolha do substituto dele, mesmas teses que foram defendidas sábado passado (20) pelo seu ex-partido, o PSB.
Veja, abaixo, a íntegra da carta do advogado, que pediu desligamento do PSB por achar que o partido não foi solidário com ele quando disputou (e perdeu) as eleições para prefeito de Olinda em 2016:

“Folha” exclui Aécio Neves da relação de seus colunistas



Acusado pelo empresário Joesley Batista de ter pedido R$ 2 milhões ao grupo JBS para custear as despesas com sua defesa, dado que é um dos investigados pela operação “Lava Jato”, o senador (suspenso do mandato) Aécio Neves (PSDB-MG) foi excluído nesta segunda-feira (20) do quadro de colunistas da “Folha de São Paulo”.
Há seis anos, o senador escrevia todas as segundas-feiras na página 2 dentro da política editorial do jornal de abrir espaços para as diferentes correntes de pensamento do país.
Quem o substituiu nesta segunda foi o correspondente do jornal em Nova York, Marco Augusto Gonçalves, que chamou o senador de “fraude moral e política que obteve 51 milhões de votos no último pleito”.
A “Folha”, no entanto, publica na página 3 extenso artigo do senador, intitulado “O crime da calúnia” no qual tenta desqualificar o empresário Joesley Batista que gravou um diálogo entre ambos e o entregou ao Ministério Público para embasar sua delação premiada.
Ao final do artigo, o senador despediu-se assim dos seus leitores da “Folha de São Paulo”: “Diante da necessidade de dedicar-me integralmente à minha defesa, deixou de ocupar nesta Folha o espaço que, durante quase seis anos, ocupei semanalmente, buscando contribuir para aprofundar a discussão sobre os problemas do país”.

OAB vai arrastar Temer



A pior da notícia para o presidente Temer, que tenta resistir sem aparentar forças suficientes, veio com a conformação do pedido de impeachment pela Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB, a mesma que puxou o tapete de Collor e de Dilma. Ontem, o presidente da instituição, Claudio Lamachia, informou que apresentará, ainda nesta semana, à Câmara dos Deputados, um pedido de impeachment do presidente Michel Temer.
No último fim de semana, a OAB aprovou, por 25 votos a 1, entrar com o pedido de impeachment após se tornar público o conteúdo das delações dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, no âmbito da Operação Lava Jato. Segundo Lamachia, mesmo que a gravação de uma conversa entre Joesley e Temer (em 7 de março deste ano), entregue ao Ministério Público, tenha passado por algum tipo de edição, como argumenta a defesa do presidente, as declarações públicas de Temer sobre o episódio confirmam o teor do diálogo e "isso que é indiscutível".

Sem-terra invadem fazenda de PM amigo de Temer que teria recebido R$ 1 mi em propina

: Sem-terra invadem fazenda de PM amigo de Temer que teria recebido R$ 1 mi em propina

Um grupo de sem-terra ligado à União Nacional Camponesa (UNC) ocupou a Fazenda Esmeralda, em Duartina, interior de São Paulo, de propriedade do ex-assessor e amigo de Michel Temer (PMDB), o empresário João Batista Lima Filho; de acordo com o delator da JBS Florisvaldo Caetano de Oliveira, Lima Filho, que é coronel aposentado da Polícia Militar de São Paulo, teria recebido propina de R$ 1 milhão em nome de Temer; sua empresa foi alvo de operação da Polícia Federal na semana passada. BR 247

"A difícil missão de defender Paulo Câmara"

Resultado de imagem para José Humberto CavalcantiCaro Magno, 
É muito difícil a situação dos socialistas que, por dever de ofício, são obrigados a defender Paulo Câmara, o pior governador da história de Pernambuco, segundo pesquisa recente de opinião. É o caso de Sileno Guedes, um político sem voto e sem expressão. Na falta de respostas consistentes às graves denúncias que envolvem integrantes do PSB estadual, Sileno reduz o debate político ao seu tamanho e faz ataques pessoais ao senador Armando Monteiro, maior líder da oposição no Estado.
As denúncias envolvendo lideranças do PSB de Pernambuco, amplamente divulgadas pela imprensa, precisam de explicações convincentes. É papel da oposição fazer essa cobrança, em nome de toda a sociedade.
É verdade que o governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Julio estão no centro do noticiário. Infelizmente, o principal assunto que hoje se associa a eles é a corrupção. Antes das recentes denúncias envolvendo propina da JBS, a dupla já era investigada até pelo Supremo Tribunal Federal, dentro da Operação Fair Play, braço local da Lava Jato, que apura irregularidades na construção da Arena Pernambuco.
Portanto, é urgente que o PSB explique com seriedade aos pernambucanos o porquê de seus integrantes estarem sendo investigados e denunciados em tantas operações da Polícia Federal"
José Humberto Cavalcanti, presidente do PTB-PE e deputado estadual

Homem da mala era assessor especial de operador de Temer antes de ir para a JBS


Resultado de imagem para Homem da mala era assessor especial de operador de Temer antes de ir para a JBS

O empresário Ricardo Saud, que detalhou ao Ministério Público Federal pagamentos de propina a vários políticos, entre eles Michel Temer e Aécio Neves (PSDB), não é um desconhecido em ilegalidades com o Poder Público; antes de se tornar o homem da mala da JBS, Saud foi o homem de confiança de Wagner Rossi no Ministério da Agricultura; Rossi foi demitido em 2011 pela presidente Dilma Rousseff acusado de corrupção e tráfico de influência relacionado à empresa Ouro Fino, cuja subsidiária tinha Ricardo Saud como sócio; enquanto Rossi e Saud estiveram no Mapa, a Ouro Fino ampliou o faturamento em 81%; depois que Wagner Rossi foi demitido, Saud foi o primeiro a deixar o Mapa; em delação, Joesley Batista relata pedido feito por Temer de uma mesada de R$ 100 mil a Wagner Rossi pela JBS. BR 247

BOM EXEMPLO: Prefeita argentina é denunciada pelo próprio pai



Verónica Morales, prefeita da cidade de San Cosme, no norte da Argentina, foi denunciada por seu pai, vereador do município, por supostamente ficar com fundos públicos destinados a obras que não saíram do papel.
O insólito caso gerou uma multidão de comentários na imprensa e nas redes sociais depois que os meios de comunicação locais divulgaram a denúncia feita por Eduardo Morales, cuja ex-mulher e mãe da acusada também foi prefeita da mesma cidade - de cerca de 6.500 habitantes - e outra de suas filhas, vereadora.
"Sabia que meu pai é instável, bipolar. Mas que tenha feito uma coisa assim, ainda mais sabendo que eu tenho como provar que tudo isso é mentira, me surpreende", declarou a prefeita à imprensa local.
Morales, que foi eleito vereador em 2015, mas ainda não assumiu, acusou sua filha de ser responsável pela falta de obras que foram cobradas com certificados presumivelmente adulterados e de ficar com o dinheiro destinado pelo Estado para sua realização.
"Fez isso em conivência com os vereadores atuais. Por isso não me deixam assumir, porque têm problemas. Se chego ao Conselho Deliberativo vão ter problemas a cada minuto. Porque sou uma pedra no sapato", disse Morales à emissora de televisão "Todo Notícias".
Morales citou como exemplo o fato de que chegaram 325.000 pesos (cerca de R$ 60 mil) para a compra de uma caminhonete para os bombeiros, "mas não existe corpo de bombeiros em San Cosme".

Conselho Federal de Psicologia chama ação de Doria na Cracolândia de ‘barbárie’

Rovena Rosa/Agência Brasil: <p>São Paulo - Região da Cracolândia após a operação policial na manhã de ontem (21), numa ação conjunta entre prefeitura e governo do estado (Rovena Rosa/Agência Brasil)</p>Conselho Federal de Psicologia chama ação de Doria na Cracolândia de ‘barbárie’

Para o Conselho Federal de Psicologia (CFP) as atitudes tomadas por João Doria, prefeito de São Paulo em relação à Cracolândia são "barbárie" e "atrocidade" e criticaram o fim do programa Braços Abertos, criado pela gestão de Fernando Haddad; na madrugada deste domingo (21), uma operação com 900 policiais retirou usuários à força e prendeu traficantes no principal ponto de consumo e comércio de drogas de São Paulo. BR 247

Oposição cobra explicações sobre encontro com a JBS


Resultado de imagem para SILVIO COSTA FILHO


A Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) cobrou explicações do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio sobre as declarações do executivo da JBS, Ricardo Saud, envolvendo o PSB pernambucano. Na delação, Saud afirma ter sido procurado por Paulo Câmara e pelo prefeito Geraldo Júlio para tratar de doações da empresa para a campanha de 2014 e que terima liberado R$ 1 milhão para a campanha do governador. 
“Saud fala, inclusive, em ter recebido, na sede da empresa, ao lado do empresário Joesley Batista, o governador do Estado e o prefeito do Recife. Li atentamente as notas divulgadas por Paulo e Geraldo e, no entanto, em nenhum momento vi nenhuma referência ao encontro. De fato houve ou não esse encontro com o delator? E se houve, e não foi tratado nada relacionado à campanha, o que o governador de Pernambuco e o prefeito da Capital foram tratar na sede da empresa”, questionou, Silvio Costa Filho (PRB). 
O deputado Álvaro Porto (PSD), dissidente da base governista, cobrou coerência do governador, exigindo explicações públicas sobre as denúncias envolvendo o seu nome. “Paulo Câmara cobrou explicações do presidente Michel Temer e os pernambucanos esperam o mesmo dele. O governador vai renunciar, como propôs a Temer o prefeito Geraldo Júlio, de quem Paulo Câmara é aliado?”, perguntou o parlamentar. 
Para Edilson Silva (Psol), presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, o episódio é mais um que exigem explicações do PSB e de seus dirigentes. “É mais um entre tantos mal feitos ainda mais graves do núcleo duro do PSB em Pernambuco”, destacou. 
Os parlamentares lembraram ainda que essa não foi a primeira vez que o PSB pernambucano e seus quadros são citados em delações ou envolvidos em operações da Polícia Federal. O PSB de Pernambuco já foi citado nas delações de Marcelo Odebrecht e outros executivos da construtora, além de terem sido alvo de sete operações da Polícia Federal. Foram cinco no âmbito da Lava-Jato (Vórtex, Filhotes, Vidas Secas, Politeia e Catilinárias) e duas que tratam especificamente de questões locais (a Fair Play, que investiga irregularidade na construção da Arena Pernambuco, e Turbulência, que apura um suposto esquema de corrupção que teria movimentado cerca de R$ 600 milhões desde 2010).
“O governador de Pernambuco, o prefeito do Recife e a direção do PSB devem explicações à sociedade pernambucana sobre esse encontro e sobre a afirmação de que teriam sido enviados R$ 1 milhão para a campanha do então candidato Paulo Câmara”, cobrou Silvio Costa Filho.

“Tenho dois patrimônios: a minha família e o meu nome”

O governador Paulo Câmara reagiu hoje com indignação às insinuações feitas, em delação premiada, pelo executivo da empresa JBS Ricardo Saud. “Quero dizer que estou indignado, mas não vou baixar a cabeça. Eu tenho o compromisso de trabalhar por Pernambuco e vou continuar trabalhando. Sou servidor público. Vivo do meu salário e só tenho dois patrimônios: a minha família e meu nome. E ninguém vai manchá-los”, declarou Paulo Câmara, durante cerimônia no Palácio do Campo das Princesas.

“Quero também aproveitar essa oportunidade de estarmos aqui hoje, numa plateia tão qualificada, com tanta gente, tantos amigos e amigas que estou vendo aqui para, também, dar uma explicação. Na verdade, dar uma satisfação. Dizer o que é preciso ser dito a cada pernambucana e a cada pernambucano diante dos fatos que a gente tem ouvido falar desde a última sexta-feira. A minha campanha eleitoral de 2014 não recebeu recursos da empresa JBS. Quero dizer isso porque nem minha campanha, nem o PSB estadual recebeu nenhum centavo desta empresa. As doações que a JBS fez foram ao PSB nacional, que registrou. Está tudo registrado nas doações do PSB nacional”, discursou Paulo. E acrescentou: “Essa própria pessoa que está fazendo a delação foi muito textual ao dizer que a doação ao PSB nacional ocorreu sem nenhuma contrapartida e sem nenhum benefício”.

O governador Paulo Câmara lembrou que na Petição 7.003 do Ministério Público Federal, assinada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que trata da delação premiada da JBS,  não há menção ao nome dele, nem do prefeito Geraldo Julio e nem do ex-governador Eduardo Campos. A petição foi acolhida pelo relator do processo no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin. BLOG DO MAGNO MARTINS

Tijolaço: Aécio é tragado pelo rodamoinho de ódio que construiu

: <p>Aécio Neves </p>

Para o jornalista Fernando Crito, do Tijolaço, o senador afastado Aécio Neves (PSDB) faz "coisa de moleque" ao negar a conduta espúria revelada pelos delatores da JBS; "Só falta dizer que você é bonzinho e apenas se meteu com "más companhias", feito um guri tolinho. Tome tenência, Aécio, você tem 57 anos e só é superado em ridículo porque Temer, ao 76, sai-se com esta história do 'tolinho'", diz Brito; "Você, mais que ninguém, criou e alimentou este clima de intolerância, de perseguição, de deduragem, de calúnia como forma de fazer a política que seu avô fazia com conversa". BR 247

Sertânia comemora 144 anos de Emancipação



Distante 316 km do Recife, Sertânia, no Sertão do Moxotó, celebra 144 anos de Emancipação Política nesta quarta-feira, dia 24. As comemorações, no entanto, já começaram desde a semana passada com a realização da I Jornada Cultural entre os dias 17 e 20 deste mês. A ação em parceria com o Serviço Social do Comércio, o Sesc, foi um sucesso e conseguiu reunir o maior público em evento já realizado pela instituição no município, segundo a organização.
Nesta terça-feira (23), véspera do aniversário, a cidade recebe novos shows. Agora, com o poeta do Sertão Nico Batista e Luan Douglas e Vilões do Forró, a partir das 22h. Esse último artista ficou conhecido nacionalmente pela participação no programa global The Voice Brasil.


Na quarta (24), o Governo Municipal realiza a inauguração de obras de calçamento da rua Luiz Almeida Sales e travessa de mesmo nome, a partir das 16h. E após a realização de missa, às 19h, na Igreja Matriz da Imaculada Conceição, haverá a cerimônia tradicional do corte do bolo com a presença do prefeito, Ângelo Ferreira, e da Banda Filarmônica Municipal Antônio Josué de Lima, de Sumé, na Paraíba. Postado por Magno Martins

‘Temer não tem condições de se sustentar, porque perdeu apoio da Globo’

:

O ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro (PT) classificou a Globo como o "'partido político' que deu sustentação para o impeachment de Dilma Rousseff" e lembrou que o veículo publicou um editorial apoiando a renúncia de Temer; "O apoio principal do Temer, que é o oligopólio da mídia, está se retirando. Com isso, ele perde mais da metade da base dele, que é uma base política que não tem sustentação ideológica ou programática"; Na avaliação do ex-governador, "a grande saída é a eleição geral e direta para presidente e Congresso. BR 247

Delcídio depõe sobre sede do Instituto Lula e diz não conhecer ligação da Odebrecht com a entidade

Foto: Agência Brasil 

À maioria das perguntas que lhe foram formuladas, o político respondeu com afirmações pouco objetivas, alegando não conhecer detalhes ou apenas ter ouvido falar sobre aqueles determinados episódios.

O ex-senador Delcídio do Amaral testemunhou nesta segunda-feira (22) na 13° Vara Federal de Curitiba, em audiência em processo que tem Luiz Inácio Lula da Silva como um dos acusados, que tenta apurar se a empreiteira Odebrecht teria comprado um imóvel para posteriormente cedê-lo ao Instituto Lula, algo que nunca ocorreu. À maioria das perguntas que lhe foram formuladas, o político respondeu com afirmações pouco objetivas, alegando não conhecer detalhes ou apenas ter ouvido falar sobre aqueles determinados episódios. 
O ex-senador, que assinou um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal e cumpre por isso prisão domiciliar em Mato Grosso do Sul, afirmou que o ex-ministro Antonio Palocci levava ao então governo Lula demandas do empresariado brasileiro, inclusive das empreiteiras que faziam parte de um cartel que fatiava obras e decidia preços em processos licitatórios da Petrobras. 
Ao ser perguntado, no entanto, como ficara sabendo de tal fato, ele disse que "ouviu falar" sobre o assunto de Marcelo Odebrecht, que teria um dia comentado isso a ele.

Marina defende cassação de Temer e chama diretas

: <p>Marina Silva e Michel Temer</p>

"Antecipar o julgamento no TSE e aprovar a PEC 227/2016 para convocação de eleições diretas são medidas urgentes para sairmos desta crise", publicou a ex-senadora no Twitter; para Marina Silva, "a entrevista do presidente Michel Temer funcionou mais como uma espécie de confirmação das graves denúncias do que um esclarecimento". BR 247

Lava Jato reconhece que Lula não é dono de sítio em Atibaia em acusação sem pé nem cabeça que prova obsessão do MPF-PR com ex-presidente



A Força Tarefa da Lava Jato levou 18 meses para admitir a verdade: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não é, e nunca foi, dono de um sítio em Atibaia, ao contrário do que os procuradores, a esposa do juiz Sérgio Moro e boa parte da imprensa sempre alardearam.
E apesar dos fatos a Força Tarefa de Curitiba apresentou hoje, contra Lula, mais uma denúncia leviana, que apenas demonstra sua obsessão de perseguir o ex-presidente.
A denúncia, pela sua inépcia e incorreção, só pode ser rejeitada por qualquer juiz imparcial que a analise. A peça da equipe de Deltan Dallagnol relaciona, de forma aleatória e sem provas, contratos na Petrobras com os quais Lula não tem relação, com reformas feitas em 2010 sem o conhecimento do ex-presidente, em uma propriedade que não é de Lula, e que segundo depoimentos de delatores não foram feitas em contrapartida a nenhum contrato público, muito menos na Petrobras. A inclusão de contratos da Petrobras na denúncia se dá exclusivamente para que essa acusação fique sob controle da Força Tarefa de Curitiba e do Juiz Sérgio Moro, que, como os próprios admitem, formam um mesmo "time", em procedimento que viola completamente um princípio básico da justiça: que um juiz deve ser imparcial.
Os advogados do ex-presidente já denunciaram a parcialidade dos procuradores e juiz da Lava Jato e a prática de "lawfare" (a perseguição política usando meios jurídicos) na Comissão de Direitos Humanos da ONU. Lula não cometeu qualquer crime nem antes, nem durante, nem depois de exercer a presidência da República duas vezes, eleito pelo povo brasileiro.

Moro permite silêncio de delator sobre acordo com estrangeiros

:

Texto divulgado pela assessoria do ex-presidente Lula relata que o ex-executivo Mendonça Neto voltou a se negar a falar a respeito do acordo que realizou com autoridades de outros países para contribuir com investigações feitas fora do Brasil sobre a Petrobras e outras empresas brasileiras, durante depoimento na 13° Vara Federal de Curitiba nesta segunda-feira 22; de acordo com o relato da defesa, o juiz Sergio Moro ignorou os protestos de advogados e permitiu que a testemunha se calasse sobre o assunto. BR 247

Auler: coronel Lima é o batom na cueca de Temer

:

Jornalista Marcelo Auler destacou classificou o ressurgimento do coronel aposentado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho como o "batom na cueca" de Michel Temer; na denúncia à Procuradoria da República, o contador do grupo J&F, Florisvaldo Caetano de Oliveira, responsável pelas entregas de dinheiro a políticos, relatou ao menos dois encontros com Lima Filho; "Se Lima Filho, oficial reformado da Policia Militar paulista e desde 2011 sócio da Argeplan Arquitetura e Engenharia Ltda., situada na Rua Juatuba, na Vila Madalena, não tem ligação oficial com o governo federal, que motivos levariam a J&F a lhe pagar R$ 1.000.000,00? O que explica é sua ligação umbilical com Temer. Este pequeno detalhe já não é suficiente para levantar desconfiança do presidente que se diz honesto?", questiona Auler. BR 247

Noblat diz que Cunha decidiu fazer delação premiada

: Noblat diz que Cunha decidiu fazer delação premiada

Colunista do Globo noticia que o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está peso, decidiu firmar acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato; segundo a delação do empresário Joesley Batista, da JBS, o ex-presidente da Câmara vinha recebendo dinheiro para ficar em silêncio. BR 247

Alckmin decide morrer abraçado a Temer

: <p>Geraldo Alckmin</p>

Governador de São Paulo defendeu a permanência do partido na base do governo Michel Temer a despeito da crise política gerada a partir das gravações feitas pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS; indagado por repórteres se o PSDB deveria deixar a base governista, Alckmin afirmou: "Neste momento, não"; "Não teria sido correto para com o país", completou; PSDB – que apoiou o golpe parlamentar contra a presidente eleita Dilma Rousseff - é, depois do PMDB, o maior partido de sustentação do governo Temer. BR 247

Homem da mala disse ser emissário de Temer

:

O deputado afastado Rodrigo Rocha Loures, que recebeu uma mala de R$ 500 mil da JBS, disse numa conversa com o empresário Joesley Batista ser "emissário de Temer"; o áudio foi gravado pela Polícia Federal e anexado ao inquérito em que Michel Temer deve ser denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial; "O que ele me pediu: ele fala com você a hora que você quiser. Ele prefere te atender à noite, no Jaburu, a partir de umas 11 da noite, dez horas", disse o deputado afastado, que foi quem marcou o encontro do dia 7 de março, em que Temer foi gravado por Joesley; Rocha Loures também lamentou a ausência de Eduardo Cunha, parceiro de Temer no golpe parlamentar, hoje condenado a 15 anos de prisão; "O Eduardo levava a bancada com muita presença", disse o deputado, que disse que não sabia que havia dinheiro na mala que recebeu. BR 247

A nebulosa relação entre JBS, Aécio e o jornal Hoje em Dia

:

Após o empresário Joesley Batista, dono da JBS, afirmar que R$ 2,5 milhões dos cerca de R$ 60 milhões entregues ao senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) para a campanha de 2014 foram pagos por meio da compra antecipada de publicidade no jornal Hoje em Dia, o Sindicato dos Jornalistas voltou a abordar a relação entre a empresa e o jornal; "Outras relações do jornal eram mais conhecidas: aquelas que uniam os antigos proprietários do jornal, a família Carneiro, ao senador e sua irmã. No começo de 2016, quando a empresa estava em dificuldades, o empresário e político Ruy Muniz arrematou o jornal sem gastar nenhum centavo. Ao mesmo tempo, a JBS pagava à família Carneiro R$ 18 milhões e ficava com a sede do jornal". BR 247

Ninguém odeia mais o Lula que a Globo! Manchetômetro mostra como o PiG fabricou o Juiz Moro


Vitor T.jpg

O Conversa Afiada reproduz análise do Manchetômetro sobre como o PiG persegue Lula ao se aliar ao Imparcial de Curitiba:
(...)
De que maneira os meios de comunicação têm retratado o ex-presidente e o juiz federal?
Com o intuito de responder a esta questão, nos debruçamos sobre duas perspectivas de interpretação que podem ser apreendidas a partir da base de dados do Manchetômetro: em primeiro lugar, abordamos a dimensão quantitativa das referências aos dois personagens e suas respectivas valências, ou seja, em que medida e de que maneira são citados nas manchetes, chamadas, colunas de opinião e editoriais dos jornais impressos O Globo, Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo. Em seguida, examinamos as fotografias e charges presentes nas capas desses veículos a fim de produzir uma análise das representações imagéticas. O recorte temporal contemplado ficou entre o dia 1º de janeiro e 14 de maio de 2017, primeiro domingo após o depoimento de Lula.
Lula e Moro nos Jornais Impressos

Rede pede antecipação da cassação

: Rede pede antecipação da cassação de chapa Dilma-Temer

Partido mobiliza um ato em frente ao Tribunal Superior Eleitoral, no qual entregará 500 mil assinaturas que pedem a antecipação do julgamento sobre a cassação da chapa Dilma-Temer e pela aprovação da chamada "PEC da Eleição Direta", de autoria do deputado Miro Teixeira (Rede/RJ), que prevê a extinção da possibilidade de realização de eleições indiretas no país, caso os cargos de presidente e o de vice fiquem vagos durante a segunda metade do mandato.

O POVO NÃO É ESTÚPIDO... Rodrigo Maia vai ao bordel de coxinhas


a51abfd0-89ec-437a-b41f-dca8ff5d62f4.jpg

O Conversa Afiada publica afiado artigo de seu colUnista exclusivo Joaquim Xavier:

A presença de Michel Temer no Planalto, após crimes escancarados, só merece um nome: provocação.
O “presidente” não manda em ninguém. Lembra Hitler no bunker dando ordens para generais sem tropas nem vergonha pouco antes de ser fulminado impiedosamente.
Temer nem sequer conseguiu quórum para uma boca livre no domingo à noite. Quando até deputados picaretas recusam boia de graça é porque a coisa não tem mesmo mais volta. O “presidente” teve que se contentar em receber uns poucos paus mandados. Entre eles o chefete da Câmara, Rodrigo Maia, que apareceu de tênis, bermuda e camiseta como se estivesse indo a um bordel de coxinhas.
Doravante todas as ações do usurpador moribundo não passam de pantomima de mau gosto. São um monumento à desfaçatez. Temer declara desconhecimento quanto aos crimes de Joesley Batista quando o recebeu no porão palaciano –embora o rei do gado já carregasse nas costas três operações da PF amplamente noticiadas. Além de delinquente, Temer imagina que o povo é idiota.

Rede CBS, dos EUA, compara Moro a agente que prendeu Al Capone

: Rede CBS, dos EUA, compara Moro a agente que prendeu Al Capone

Programa "60 Minutes", da TV norte-americana CBS, levou ao ar uma entrevista com o juiz federal Sergio Moro contando os detalhes da Operação Lava Jato; a chamada é o juiz Moro afirmando que "a Investigação no Brasil é "muito maior" do que Watergate; "Você assistiu ao filme 'Os intocáveis'? Vou mostrar você nos Estados Unidos como o agente da Lei Eliot Ness que prendeu 'Al Capone', disse Anderson Cooper, âncora da TV CNN e colaborador da CBS. BR 247

TEM QUE ABRIR A CAIXA PRETA DO JANOT... Ser Procurador da República (sic) dá mais que vender presunto!


Pôster.jpg

Dr Janot, quem cooptou os rapazes?

Dr Janot, algumas perguntinhas em nome da transparência e da "compliance", essa indústria fajuta que os americanos inventaram e que os seus republicanos Procuradores exploram com perspicácia:
- Dr Janot, diante dessa suruba, como os ladrões da Friboi chegaram ao Procurador que está preso, Dr Janot?
- Quem é o intermediário que fez o contato?
- Ou o senhor acha mesmo que foi do Dr Willer?
- cadê a foto do Procurador algemado? De cabeça raspada, que nem o Eike?
- e o Dr Miller, como é que ele se passou para o outro lado?
- quem, como cooptou do Dr Miller, seu braço direito?
- ele está sendo preservado?
- como, por quê?
- o Dr Miller foi ao escritório da Friboi, mas não participou da delação... por que, Dr Janot?

Nassif: ‘grupo do golpe está totalmente desarticulado’


Resultado de imagem para Nassif: ‘grupo do golpe está totalmente desarticulado’

Para o jornalista Luis Nassif, a implosão do governo de Michel Temer pelas revelações da JBS desestabilizou a aliança que se forçou em torno do golpe parlamentar que o alçou à Presidência; "O fato é que o grupo que investiu no golpe está totalmente desarticulado, atirando cada qual do do seu campo. De um lado, eles precisam dar um pouco mais de tempo para Temer, a fim de conseguir rearticular uma estratégia de quem poderá assumir a figura do executivo, por outro, ao demorar para encontrar uma solução, fortalecem os movimentos Diretas Já, e daqueles a favor de Dilma", afirma. BR 247